Combinando artes decorativas no ambiente

Decorar envolve criatividade, percepção do ambiente e experimentação de objetos, tirando-os de seus lugares e usos comuns para atribuir-lhes novas perspectivas. Mas como coordenar artes diferentes no mesmo espaço? E como saber se a combinação é harmônica?

Quanto mais nos aprofundamos em artes decorativas, mais entendemos que não se trata apenas de adquirir objetos e organizá-los em um espaço. Trata-se de peças que materializam aquilo que somos; que evidenciam crenças e culturas que fazem parte de nós; que falam a respeito de histórias e referenciam estéticas, bem como a nossa perspectiva de beleza (externa e em essência).

estilo-ambiente-bali-artes-decoração
A composição de artes decorativas em um único móvel o torna a ênfase do ambiente.

Entretanto, sabemos que delinear alguns parâmetros, como os princípios básicos do design de interiores, pode ser facilitador no processo de combiná-las no ambiente. Principalmente quando há um propósito para a ambiência como, por exemplo, criar um espaço meditativo que inspire elegância e acolhimento.

Antes começar a arranjar as peças é essencial identificar elementos que criam unidade entre elas e os interiores da casa – seja o estilo, o design, a cartela de cores ou simplesmente o que representam para você.

É necessário também designar um ponto focal no espaço, que pode ser tanto um mobiliário distinto que ofereça notoriedade às peças quanto uma arte decorativa singular que se destaque e evidencie as outras.

máscara-inspiração-teatro-grego-bali-decoração
A coordenação de artes decorativas distintas caracteriza um equilíbrio assimétrico na decoração.

Ao definir o local de ênfase, é preciso estabelecer um equilíbrio visual na disposição das artes decorativas; que pode ser simétrico, com objetos distribuídos uniformemente considerando formas e cores; assimétrico, com a coordenação despretensiosa de peças dissimilares; e radial, quando os elementos são alinhados em torno de uma arte central.

Em seguida,  analisa-se a escala e a proporção dos objetos, sendo determinantes para lograr um aspecto harmônico, sobretudo se as artes decorativas estiverem apoiadas sob um móvel, pois precisam ter dimensões equivalentes.

Nesse processo, é interessante definir o ritmo da decoração, que evidencia a maneira como a enxergamos o conjunto. Ele pode ser determinado por repetição, através de elementos com o mesmo material ou cartela cor; por progressão, por meio de peças semelhantes mas com tamanhos, cores ou texturas diferentes, que vão gradativamente aumentando ou diminuindo; por transição, com a passagem sutil de um objeto a outro, sem causar impacto; ou por contraste, através de artes com características que se opõem.

estilo-decorativo-arte-rústica-artesanal
A repetição de materiais e estilo é uma técnica que pode auxilar a mesclar artes decorativas.

Os detalhes são também de extrema importância para levar ao ambiente a essência que deseja. Inserir aromas com incensos, iluminar o ambiente com velas ou incluir as cores de pedras e cristais junto a objetos decorativos, por exemplo, deixarão a casa aconchegante e com mais personalidade.

Contudo, é preciso ter ciência de que não há regras na decoração e que estes princípios funcionam apenas como diretrizes para nos auxiliar a combinar artes decorativas e montar o espaço que sempre sonhamos.

Se desejar uma inspiração extra, entre em nossa loja online e confira nosso acervo de artes decorativas!

Namastê!

Milene Sousa – Arte & Sintonia

Faça seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s